Telefone : (27) 3235-6999     E-mail: contato@p6comunicacao.com.br
dez 04

Farinheira comunitária de Alcobaça amplia mercado no sul da Bahia

O empreendimento da agricultura familiar, que tem o apoio da Fibria, tem capacidade para produzir 2,5 t/dia e já fornece para supermercados da região e para a merenda escolar

 

 

A Cooperativa dos Agricultores do Vale do Itaitinga (Cavi), localizada em Pouso Alegre (Alcobaça/BA) e inaugurada pela Fibria há quatro anos, vem trabalhando a todo vapor na região. Com potencial de produção de cerca de 2,5 t/dia, os agricultores familiares da Cavi já fornecem seus produtos aos principais supermercados da região e às prefeituras de Alcobaça, Teixeira de Freitas, Caravelas, Nova Viçosa e Prado, por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), reforçando a merenda dos alunos nas escolas municipais.

 A Cavi representa 30 produtores cooperados que fazem parte de quatro associações de agricultores: Itaitinga, Pouso Alegre, Novo Destino e Constelação. A estrutura da farinheira foi construída com recursos da Fibria e absorve a produção de mandioca de mais de 100 famílias agricultoras da região. A farinha produzida ali é comercializada com a marca “Raspadeiras da Bahia” e pode ser encontrada, por exemplo, na prateleira de supermercados como o Faé e o Rondelli, em Teixeira de Freitas.

Narcisio Luiz Loss, consultor de Sustentabilidade da Fibria, destaca que a Cavi é uma importante fonte de trabalho e renda na região. Segundo ele, 18 pessoas trabalham diretamente na produção de farinha na cooperativa e 83% dessa mão de obra é feminina. “É um produto que tem as características da tradição da farinha consumida e apreciada na região”, observa Narcisio Loss.

A presidente da Cavi, Maria das Graças Novaes, fala da rotina dos associados. “Nós produzimos farinha dois dias na semana e nos outros dias é feita a colheita da mandioca e o processo de torrefação”, conta ela. Segundo Maria, os resultados obtidos com a Cavi vêm contribuindo para a melhoria da qualidade de vida dos agricultores familiares associados. Quem trabalha todos os dias úteis recebe cerca de R$ 1 mil por mês, o que é um reforço na renda das famílias.

 Com a gestão transparente e compartilhada, a Cooperativa conseguiu melhorar o maquinário. Agora os cooperados contam com um caminhão F4000, motosserra, prensa hidráulica e ralador revestido de inox. Juntamente com outras associações da região, a Cavi também vem conseguindo captar recursos públicos e privados para investir em melhorias na sua infraestrutura.

 A farinheira comunitária de Alcobaça é uma das ações do Programa de Desenvolvimento Rural Territorial (PDRT), desenvolvido pela Fibria com o objetivo de fortalecer a agricultura familiar. No Extremo Sul da Bahia, o programa atende 1.071 famílias de 32 Associações e uma Cooperativa. Elas recebem orientação sobre produção, comercialização e gestão do negócio. Essa orientação é viabilizada pela Fibria e contribui para fortalecer cada vez mais os resultados da agricultura familiar. Entre as atividades desenvolvidos está o cultivo e beneficiamento de mandioca, cultivo de milho, feijão, urucum e outros produtos, além da criação de pequenos animais.

 

Sobre a Fibria

Líder mundial na produção de celulose de eucalipto, a Fibria é uma empresa que procura atender, de forma sustentável, à crescente demanda global por produtos a partir da floresta plantada. Com capacidade produtiva de 7,25 milhões de toneladas anuais de celulose, a companhia conta com unidades industriais localizadas em Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Três Lagoas (MS), além de Eunápolis (BA), onde mantém a Veracel em joint-operation com a StoraEnso. A companhia possui 1,056 milhão de hectares de florestas, sendo 633 mil hectares de florestas plantadas, 364 mil hectares de áreas de preservação e de conservação ambiental e 59 mil hectares destinados a outros usos. A celulose produzida pela Fibria é exportada para mais de 35 países e matéria-prima para produtos de educação, saúde, higiene e limpeza. Saiba mais em www.fibria.com.br.