Telefone : (27) 3235-6999     E-mail: contato@p6comunicacao.com.br
out 31

Mais de 1.500 casos de câncer de próstata devem surgir este ano no ES

Campanha Novembro Azul alerta para a importância do rastreio da doença para um diagnóstico precoce

Quando o assunto é cuidar da própria saúde, os homens, em geral, têm hábitos diferentes da mulher. Eles costumam buscar um médico apenas quando apresentam algum sintoma, não dando, na maioria das vezes, o valor devido à prevenção, atitude fundamental para a identificação precoce de doenças. Neste mês de novembro, uma campanha mundial chama a atenção do público masculino para a importância de se cuidar, tendo como foco principal a prevenção do câncer de próstata, segundo tumor mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma.

Para este ano, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima 68.220 novos casos da doença no Brasil, sendo mais de 1.500 no Espírito Santo. O urologista Carlos Henrique Segall Júnior, do Centro Capixaba de Oncologia (Cecon), unidade capixaba do Grupo Oncoclínicas, alerta que, com a detecção precoce, o índice de cura do câncer de próstata chega a 95%.

É recomendável realizar os exames preventivos a partir dos 50 anos ou 45 anos para quem apresenta fatores de risco. Entre os principais fatores de risco da doença estão a idade, a raça (negra), a obesidade e a história familiar.

O diagnóstico é realizado por meio de dois procedimentos: o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico) e o toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos.

“É importante combinar esses dois exames, pois o PSA não é eficaz sozinho. Infelizmente, ainda há muito preconceito com o exame de toque, mas ele é um procedimento praticamente indolor e não afeta em nada a masculinidade do homem. O foco deve ser o diagnóstico precoce”, destaca o médico do Cecon.

Quando há suspeita de câncer, é solicitada uma biópsia, que retira fragmentos da próstata para análise. Se for confirmada a doença, a indicação do tratamento vai depender de vários aspectos, como estado de saúde do paciente, estadiamento da doença e expectativa de vida. “Em pacientes com tumores de baixa agressividade, é feita uma vigilância ativa, com um monitoramento constante da evolução do tumor”, informa o Dr. Carlos Henrique.

Mesmo com os avanços terapêuticos, cerca de 25% dos pacientes com câncer de próstata ainda morrem devido à doença, segunda principal causa de morte por câncer em homens. Atualmente, aproximadamente 20% ainda são diagnosticados em estágios avançados, apesar da queda neste percentual nas últimas décadas, devido ao aumento do rastreamento e à maior conscientização da população masculina.

Sintomas

A maior parte dos casos de câncer de próstata não apresenta sintomas na fase inicial. Quando alguns sinais começam a aparecer, a maioria dos tumores já está em fase avançada. Segundo o médico urologista, os principais sintomas são dor para urinar, vontade de urinar com frequência, presença de sangue na urina e/ou no sêmen e dor óssea.

Além da prevenção por meio dos exames de rastreio, o Dr. Carlos Henrique destaca outras medidas como mudanças em hábitos de vida, incluindo na rotina a prática de atividades físicas e uma alimentação rica em vegetais e pobre em gorduras.

Sobre o Grupo Oncoclínicas

Fundado em 2010, é o maior grupo especializado no tratamento do câncer na América Latina. Possui atuação em oncologia, radioterapia e hematologia em 10 estados brasileiros. Atualmente, conta com mais de 43 unidades entre clínicas e parcerias hospitalares, que oferecem tratamento individualizado, baseado em atualização científica, e com foco na segurança e o conforto do paciente.

Seu corpo clínico é composto por mais de 400 médicos, além das equipes multidisciplinares de apoio, que são responsáveis pelo cuidado integral dos pacientes. O Grupo Oncoclínicas conta ainda com parceira exclusiva no Brasil com o Dana-Farber Cancer Institute, um dos mais renomados centros de pesquisa e tratamento do câncer no mundo, afiliado a Harvard Medical School, em Boston, EUA.

Para obter mais informações, visite www.grupooncoclinicas.com